8 Segredos para um check-up odontológico de volta às aulas

0
306
Dentista volta as aulas

Começando o ano letivo com a das crianças em dia!

Dentista

Visitas regulares ao dentista são importantes durante todo o ano, mas um check-up de volta às aulas é fundamental para combater as doenças crônicas mais comuns encontradas em crianças em idade escolar: as .

A e a detecção precoce ajudam a evitar a , problemas alimentares, dificuldade para falar e ausências escolares. “Quando as pessoas estão começando a fazer seus exames de pediatria para se certificar de que seus filhos estão prontos para a escola, devem certificar-se de que os dentes façam parte destes exames”, diz a dentista pediátrica e porta-voz da American Dental Association Dra. Mary Hayes.

1. Planejar com antecedência

Entre churrascos, viagens de férias e tudo o mais da lista de atividades de férias da sua família, é fácil se esquecer da consulta ao dentista antes da volta à escola. Infelizmente, muitos pais podem não pensam em fazer essa consulta odontológica até janeiro, que a Dra. Hayes diz que é um dos seus períodos mais ocupados. “A demanda é muito intensa”, diz ela.

Dê a si mesmo tempo suficiente, criando o hábito de telefonar quando seu filho receber seu boletim a cada ano. “Planejar com antecedência é bom”, diz Hayes.

2. Incentivar hábitos dentários apropriados à idade em casa

O melhor tipo de exame é um check-up de cáries. Mães e pais podem ajudar a fazer isso, incentivando as crianças a escovar duas vezes por dia durante dois minutos e usar o uma vez ao dia. Aqui está o conselho relativo à idade das crianças pela Dra. Hayes.

6 anos e abaixo

Nessa idade, seus filhos podem querer escovar os dentes sozinhos, mas não têm as habilidades motoras necessárias para fazer um trabalho completo. Deixe-os começar e ajude quando necessário. “Durante essa idade, a boca está mudando tanto que as crianças de 5 ou 6 anos estão escovando os dentes da maneira que o faziam quando tinham 2 ou 3 anos”, diz Hayes. “Eles não estão incluindo os novos molares, e eles não estão percebendo o fato de que a boca está crescendo”.

7-12 anos

Até agora, seu filho sabe o que fazer, porém pode não querer. Continue incentivando hábitos saudáveis de escovação e uso do fio dental. “Esteja ciente do fato de que às vezes você tem que assumir um pouco mais”, diz ela. “No momento em que eles são adolescentes, eles estão começando a entender o auto-cuidado, a responsabilidade por suas ações e assim por diante”.

De 12 a 18 anos

Dr. Hayes diz que este é um momento crítico para a saúde bucal. “Quando você olha para a pesquisa de quando a cárie aparece em crianças, este tende a ser em crianças pequenas. Mas outro período de aparecimento de cáries é na adolescência e no início da idade adulta”, diz ela.

“Parte disso tem a ver com o fato de que os adolescentes podem nunca ter tido uma cárie. Eles não necessariamente cuidam dos dentes porque não vêem a consequência de não o fazer. ”

Não deixe os hábitos do seu filho adolescente desaparecerem de vista. “Os comportamentos do adolescente vão se traduzir nos 20 anos de idade. Queremos ser capazes de apoiá-los e sermos respeitosos, porque eles não são mais crianças”.

3. “Timing” é tudo

A hora do dia pode ajudar ou atrapalhar o agendamento ao dentista do seu filho. “É importante para uma criança de qualquer idade,  acostumada a uma soneca, não agendar durante este período de sono”, diz ela. Se seu filho está sempre irritado depois de acordar, inclua isso também.

Para crianças mais velhas, evite um a visita ao dentista logo após o acampamento ou escola. “Nem todas as crianças têm energia para fazer isso”, diz ela. “Eu tenho pais que querem fazer um trabalho operacional muito elaborado depois da escola porque é quando as crianças podem sair. Mas se a criança já estiver exausta ou tiver tido um dia ruim ou tiver feito exames, ela simplesmente não terá a energia necessária para concluir a consulta com sucesso”.

4. Faça de um filho um modelo

Se você agendou compromissos regulares para seus filhos, há uma maneira simples de decidir quem vai primeiro: escolher a criança que teve as experiências mais positivas no dentista. “Toda criança vai ser um pouco diferente em seu temperamento sobre como eles reagem a uma consulta”, diz ela. “Convém que os mais bem-sucedidos entrem antes, porque os outros conseguem ver como funciona”.

5. Uma criança faminta não é um paciente feliz

Alimente seu filho uma refeição leve antes da consulta. “Pessoas famintas são pessoas ranzinzas. Você quer que eles sejam confortáveis ”, diz ela. “Também é geralmente uma boa idéia não alimentá-los na sala de espera antes de ver o dentista, porque há toda aquela comida na boca deles”.

Argumento de bônus para o seu filho escovar os dentes antes de um compromisso. “É educado”, diz a Dra. Hayes.

6. Deixe sua ansiedade na porta

Se seu coração dispara com o pensamento do dentista, seu filho provavelmente também ficará ansioso. “As crianças percebem a ansiedade dos pais”, diz Hayes. “É importante para as crianças, especialmente as de 4, 5 e 6 anos, porque provavelmente os adultos fóbicos são os que tiveram experiências ruins quando tinham essa idade”. Quanto mais jovens são seus filhos, mais você precisa estar ciente de como está se comunicando com eles.

Por exemplo, se seu filho perguntar sobre obturações, não diga: “Só vai doer um pouco”. Em vez disso, incentive seu filho a perguntar isso ao dentista. “Com qualquer criança, você quer que eles sejam capazes de sentir-se bem sucedidos em realizar uma boa consulta e relacionar esse sentimento positivo com a ideia de que seus dentes são fortes e saudáveis, para que eles tenham essa mensagem para o resto de suas vidas”.

7. Mantenha a calma se o seu filho não cooperar

Se o seu filho ficar chateado durante a sua consulta, a pior coisa que você pode fazer é empurrá-lo para fora da cadeira e sair. “A próxima consulta será mais difícil”, diz Hayes.

Primeiro, avalie por que seu filho está agindo assim. Eles estão realmente com medo ou estão tentando testar a situação? “Uma das razões pelas quais eu acho que uma pessoa de 4, 5 ou 6 anos fica chateada é porque eles acham que precisarão fazer algo que podem não conseguir”, diz ela. “Eles estão em um ambiente que sentem que não podem controlar e isso os deixa chateados, por isso tentamos dividi-los em pequenos passos”.

Em seguida, trabalhe em equipe com seu dentista para continuar a consulta. Deixe o dentista liderar a conversa. Salte onde você acha que ajuda mais, enquanto ainda permite que o dentista e seu filho construam um bom relacionamento. “Dê ao dentista todas as oportunidades para mudar a consulta”, diz ela.

8. Tenha um cartão (ou três) sempre disponível

Acidentes podem acontecer se o seu filho está em um acampamento esportivo, em uma aula de ginástica ou simplesmente andando na rua. Em caso de emergência, certifique-se de que os professores e treinadores do seu filho tenham todas as informações de contato médico de que precisam, incluindo o número do seu dentista.

Coloque os cartões de visita na sua carteira, na mochila do seu filho e nos arquivos da sua escola. “Os pais devem estar muito conscientes dos acidentes e garantir que, onde quer que estejam, tragam o número do dentista para que, se uma criança sofrer um acidente, possam ligar para o consultório”, diz Hayes.

Artigo traduzido de: https://www.mouthhealthy.org/en/babies-and-kids/back-to-school

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor insira seu comentário:
Por favor insira seu nome aqui